Sem comentários ainda

Estudo 8 – Uma jornada com Jesus: Evangelho de Lucas

A missão (parte 2) – Lucas 10.1-12

Introdução

Em nossa ultima conversa investimos um bom tempo observando, pensando e compartilhando acerca da missão de Jesus e como ele a confiou aos seus discípulos.
Logo, esse é um tema tão importante, que, chegando ao capitulo 10 do evangelho de Lucas, nós vamos reencontra-lo.

Lucas 10.1-12 é praticamente um paralelo daquilo que lemos e estudamos em Lucas 9.1-9. Naturalmente vamos nos deparar com algumas diferenças, dentre elas está o fato do mestre comissionar apenas os 12 em Lucas 9, sendo que em Lucas 10 ele comissiona 72 discípulos.

O numero 70 era bastante simbólico para os judeus:

  • Era o numero de anciãos escolhidos para ajudar Moisés na tarefa de guiar o povo pelo deserto (Números 11.17,24,25);
  • Era também o numero de membros do sinédrio (conselho supremo dos judeus);
  • Dizia-se ainda que era o numero de países no mundo.

O fato é que Jesus estava novamente enviando um grupo para proclamar as boas novas.

Relembrando o que são as Boas Novas

Jesus veio a esse mundo e andou em plena obediência a Deus. Entretanto, foi rejeitado pelos homens e crucificado. Na cruz ele carregou os nossos pecados, sofreu a ira divina e morreu.

No terceiro dia Deus o ressuscitou dos mortos, o castigo pelo pecado foi pago, a justiça foi feita.

Quarenta dias depois Jesus foi elevado aos céus, onde se assentou a destra de Deus recebendo honra e domínio sobre tudo. Ali, ele nos representa e intercede diante de Deus em nosso favor.

Não obstante, Jesus deu novas orientações, as quais devem ser sempre observadas pelos seus discípulos diante do cumprimento da missão de anuncio das boas novas.

Parceria na missão (Lucas 10.1)

Os setenta discípulos (ou 72) deveriam ir a diversas cidades e lugares, os quais Jesus passaria posteriormente. Eles foram enviados dois a dois, o que deveria prover um testemunho legalmente aceitável (Deuteronômio 19.15).

Mas, por que é importante haver parceiros participando da missão que Jesus nos confiou? Não poderíamos realiza-la sozinhos? (Eclesiastes 4.9-10)

Falta de pessoal para a missão (Lucas 10.2)

Jesus afirmou ainda que havia muito trabalho a ser feito, mas poucos trabalhadores.

Há pouca gente comprometida com a missão.

Será que esse era um problema apenas para aquele momento ou ainda é um problema presente? Como você enxerga isso?

Os Riscos da missão (Lucas 10.3)

É importante perceber ainda que a missão traz riscos. A declaração de Jesus no verso 3 já era um prenuncio da oposição e também da perseguição que os primeiros discípulos enfrentariam.

O que isso tem a ver conosco? Corremos riscos quando compartilhamos as boas novas? Pode haver oposição e perseguição?

A Urgência da missão (Lucas 10.4)

Jesus disse também que os discípulos não deveriam levar bolsa, saco de viagem ou mesmo sandália sobressalente. Eles não deveriam nem parar para saudar alguém pelo caminho. O resumo é simples: Eles deveriam ser rápidos porque o anuncio das boas novas era urgente.

No seu entendimento o anuncio das boas novas hoje ainda é urgente? Por quê?

A Paz da missão (Lucas 10.5-7)

Por onde entrassem eles deveriam saudar as pessoas com a paz. A paz na visão bíblica é mais do que ausência de conflito, é também um ambiente completo, onde haja bem estar.

Que diferença essa paz pode fazer na vida das pessoas em uma cidade como a nossa? (João 14.27)

A Rejeição da missão (Lucas 10.8-12)

Haveria ocasiões em que as pessoas não receberiam bem os discípulos e a mensagem que estavam trazendo. Nessas situações deveriam tirar a poeira das sandálias simbolizando que aquele local seria julgado pelo próprio Deus.

As pessoas sempre vão estar abertas as boas novas? Como encarar a rejeição? A quem as pessoas estão rejeitando de fato?

Desafio para a semana:

• Continue pensando e orando para que Deus mostre alguém com quem você possa compartilhar as boas novas nos próximos dias.

Arquivo em PDF- Clique ao lado para baixar: Estudo 8_Lucas 10.1-12 (1)

Para ver os artigos anteriores acesse o Arquivo dos Estudos Bíblicos.

Publicar um comentário